migalhas

Decisão é da 3ª turma do STJ.

A 3ª turma do STJ desproveu recurso de seguradora que pretendia afastar o pagamento do seguro de vida porque o acidente que vitimou o segurado tinha decorrido de embriaguez.

O relator, ministro Cueva, afirmou no voto proferido nesta quarta-feira, 10, que a situação diverge do seguro de veículo, onde se pode discutir se houve agravamento de risco pela condição de saúde.

No seguro de vida não, há carta-circular da Susep [Superintendência de Seguros Privados] que deixa claro que não é possível limitar a responsabilidade da seguradora, caso contrário o seguro de vida não vai ser pago nunca.”

A decisão da turma foi unânime em desprover o recurso.

 

TCT Advogados

Postado por: TCT Advogados, atualizado em: 15/05/2017

Desde 2011 oferecemos às empresas serviços de consultoria jurídica de forma diferenciada, com o foco principal em direito societário/empresarial, civil, trabalhista e tributário.

Comente sobre este artigo